O Bradesco anunciou recentemente, em outubro, que o presidente do banco, o executivo Luiz Carlos Trabuco Cappi, também exercerá, em caráter provisório, a função de presidente do conselho administrativo da instituição. Esse acúmulo de cargos deverá permanecer até março de 2018, que é o mês para o qual está marcada a próxima reunião entre os acionistas da empresa, onde possivelmente será anunciado o nome do novo presidente.

Essa medida foi tomada em razão da renúncia de Lázaro de Mello Brandão, que ocupava a função de presidente do conselho de administração há 27 anos, e que agora, aos 91 anos de idade, optou por se afastar da carreira corporativa.

Luiz Carlos Trabuco Cappi chegou ao cargo de presidente da instituição no ano de 2009, mas isso foi apenas o resultado de uma longa carreira iniciada na empresa há mais de quatro décadas, em 1969. Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), o executivo foi crescendo de forma hierárquica na empresa e passou por várias funções, como por exemplo, a de presidente da área de seguros.

O executivo Lázaro de Mello Brandão, por sua vez, é um dos grandes veteranos do banco, e começou sua carreira na instituição no ano de 1942, como escriturário da Casa Bancária Almeida & Cia., o nome que o Bradesco possuía durante alguns anos após ser criado. Após quatro décadas de trabalho árduo na instituição, Lázaro substituiu o fundador da empresa, Amador Aguiar, no cargo de presidente executivo do banco no ano de 1981, posição em que permaneceu até 1989.

Desde que chegou ao cargo máximo do banco, Luiz Carlos Trabuco Cappi precisou lidar com vários desafios, como por exemplo, o maior processo de fusão entre instituições bancárias da história do Brasil, na ocasião em que o Bradesco adquiriu as contas do HSBC no país pelo montante de US$ 5,2 bilhões, em 2015. Recentemente, o executivo adotou como uma de suas prioridades a digitalização dos serviços da empresa, adotada em conjunto com a modernização das agências e do atendimento prestado.

Em relação a esse acúmulo de funções no banco, Luiz Carlos Trabuco Cappi ressalta que muitas instituições bancárias mundo afora escolhem esse modelo em que o presidente executivo também é o presidente do conselho. Nos Estados Unidos, por exemplo, isso é muito comum nos maiores bancos privados do país. Contudo, as normas internas da instituição não consideram esse formato como é o ideal, e esse é o motivo pelo qual essa medida foi adotada em caráter temporário.

De acordo com os costumes do banco, o novo presidente da empresa irá ser selecionado a partir do quadro de executivos da instituição. Até o momento, Luiz Carlos Trabuco Cappi afirma que essa escolha ainda não foi feita, e que esta deverá ser confirmada apenas próximo da reunião de março de 2018. Entre as características essenciais do novo comandante da instituição, está uma visão contundente sobre o futuro e a disposição em dar continuidade ao atual modelo de gestão, o qual tem trazido muitos frutos positivos ao banco.